Em reunião presidencial, Ministro do Meio Ambiente explica como fazer para destruir a natureza

Enquanto a imprensa está preocupada com o coronavírus, vamos aproveitar e passar a boiada por cima da floresta e destruindo as proteções legais ao meio ambiente, tudo escondido do legislativo e usando a Advocacia Geral da União para barrar a reação do judiciário contra as ilegalidades.

O Ministro Ricardo Salles, que de meio ambiente não tem nada, conclui com a frase, que resume o plano exposto de forma cínica na reunião oficial, com a presença do Presidente da República: “Vamos unir esforços para dá de baciada a desregulamentação”

Nota do General Heleno é inadmissível e merece repúdio e reação democrática do Brasil

O Ministro Celso de Melo, decano do STF, recebe noticia crime contra o Presidente da República, age dentro da legalidade e despacha a noticia crime para o Procurador Geral da República, que se entender que há razão para seguir com a denuncia, apresenta-la formalmente. O que o Ministro decano do Supremo Tribunal Federal fez foi obedecer a legalidade.

O Ministro Augusto Heleno, completamente fora da lei, ameaçando o Estado Democrático de Direito, emite a nota que reproduz abaixo para que todos conheçam e percebam a gravidade do ato deste Senhor:

No primeiro paragrafo o Ministro afirma que o pedido de apreensão do celular do Presidente da República é inconcebível. Não há inconcebível, porque o Presidente da República não está imune as decisões judicias e nem acima da Constituição Federal.

O trecho final, onde o Ministro ameaça a estabilidade nacional, é para meter medo nas Instituições Civis e continuar agindo contra a ordem.

Como Presidente do Partido Verde do Pará, deixo aqui meu repúdio e minha indignação contra este ato descabido de uma Ministro de Estado e espero que todos os democratas deste país se unam para coibir os abusos deste Governo.

O Governo do Pará ficou entre os últimos colocados em transparência

Como paraense estou triste em saber que o estado do Pará ficou em 23º lugar no ranking de transparência em contratações emergências para o combate ao coronavírus.

Mas como membro do Partido Verde estou alegre porque a capital João Pessoa, administrada pelo prefeito Luciano Cartaxo, prefeito do meu partido, alcançou o primeiro lugar em transparência. O PV faz diferente e administra com responsabilidade.

Ai eu me pergunto: onde estavam os deputados estaduais que o povo paga para fiscalizar as despesas e exigir a transparência nos gastos públicos?

Acho melhor demiti-los e contratar a Transparência Internacional para nos informar que nem tudo vai bem.

Fonte dos dados: https://transparenciainternacional.org.br/ranking/#ranking

O coronavírus expôs a péssima qualidade dos dirigentes brasileiros

Aerial view of coffins being buried at an area where new graves have been dug at the Parque Taruma cemetery, during the COVID-19 coronavirus pandemic in Manaus, Amazonas state, Brazil, on April 21, 2020. – Graves are being dug at a new area of the cemetery for suspected and confirmed victims of the COVID-19 coronavirus pandemic. (Photo by MICHAEL DANTAS / AFP)

As orientações para evitar mortes por contágio por COVID-19, durante a pandemia, declarada pela Organização Mundial da Saúde, OMS, eram simples e fácies de serem seguidas: Isolamento social da população, uso de máscaras, higienização com uso de álcool em gel, testagem em massa, aplicação de medicamentos experimentais, leitos de UTIs, com respiradores, políticas públicas de socorro aos setores mais vulneráveis da economia e transparência na divulgação dos dados e dos gastos públicos.

Nos estados e municípios, cujo administradores seguiram as orientações, tendo credibilidade e legitimidade para serem atendidos pela população, o resultado está expresso em números de contaminados e de vidas poupadas.

Infelizmente, os exemplos negativos de péssimos administradores são muitos, tanto na área público quanto nas empresas privadas. Mesmo entre as pessoas, foi possível observar um grande número dos que não tem amor pelo próximo, faltando-lhes empatia.

Da gripezinha, até hoje, o Brasil passou de mil mortos por dia. Nestes mais de 50 dias, desde que a pandemia foi declarada, conhecemos dirigentes que negaram a gravidade do vírus e da sua propagação. Fomos testemunhas das cenas de atos públicos e aglomerações realizadas como forma ostensiva de desobedecer as recomendações. Um medicamento, a cloroquina, passou a ser o símbolo de alinhamento ideológico de direita. Conhecemos cidades onde os prefeitos inauguraram tomógrafo sem ter funcionários para operar. Assistimos governador comprar respiradores por WhatsApp que não funcionaram. Soubemos, em meio a dor e o sofrimento, que não podemos confiar nos dados oficias do nosso país. Muito menos na transparências dos gastos. Quem pôde roubar, roubou.

Até dois Ministros da Saúde foram exonerados por não concordar em desobedecer as regras técnicas e sensatas em favor da defesa da vida da população. O substituto, um militar, emitiu protocolo de recomendação do uso de um medicamento de eficácia duvidosa no tratamento do coronavírus, mas sem a responsabilidade técnica e sem assinatura, um documento apócrifo para saúde pública de humanos.

Na empresa privada, também foram tristes os exemplos de empresas que não se preocuparam com seus clientes e com seus funcionários, funcionando para ter lucro sem se importar com a vida de quem lhes paga as contas. Teve até quem burlasse os decretos de essencialidade, simulando vender produtos de primeira necessidade junto com vasos sanitários.

Embora tudo isso seja lamentável, devemos ressaltar que o Sistema Único de Saúde – SUS, o maior sistema público de saúde do mundo, com seus profissionais abnegados, mesmo correndo risco de morte, salvou muitas vidas e confortou os doentes graves.

Vamos sair dessa, claro e logo em seguida iremos as urnas escolher novos prefeitos e novos vereadores. Eles serão os administradores que iremos colocar nos cargos públicos com a missão de manter o que deu certo durante a pandemia e corrigir todos os erros que resultaram em muitas mortes de amigos, conhecidos e familiares.

Prefeito de Juruti com Covid-19, se recupera em Manaus. O vice assume e exonera todo o primeiro escalão do governo municipal.

Para quem acha que mineração é sinônimo de progresso, desenvolvimento, vida melhor, a pandemia, infelizmente, mostrou ao contrário.

Em Juruti, município minerador, prefeito Henrique Costa (PT), acometido de COVID-19, precisou de leito de UTI, com respirador, mas no município não tem, na região não existia vaga, para não vir a óbito, foi transferido para Manaus, onde está internado se tratando.

Na ausência do titular, assumiu o vice-prefeito West Lima, do MDB, e tão logo sentou na cadeira exonerou todo o primeiro escalão do governo.

Moradores dos demais municípios mineradores do Pará também enfrentam problemas com vagas em leitos de hospitais, enquanto a Vale faz propaganda nos meios de comunicação, elogiando seus feitos, que ninguém sabe e ninguém viu.

O Prefeito de Juruti já está se recuperando, segundo informes, deve voltar a assumir o cargo na próxima semana e readmitir todos os auxiliares, mas a imagem ruim do vice-prefeito ficará e pesará contra o MDB, partido do atual governador, nas eleições municipais.

Helder em Nova York é prestígio pessoal ou para o Pará?

Prefeito Bruno Covas com o Prefeito Bill de Blasio

O Governador Helder Barbalho, convidado pelo Prefeito de Nova York, falará, nesta quinta-feira (21) em evento organizado por Bill de Blasio sobre a experiência paraense no combate ao coronavírus.

A Coluna Painel da Folha de São Paulo, registrou o fato:

Esqueceram de mim Organizado pelo prefeito de Nova York, Bill de Blasio, o evento virtual Visão Global reunirá em 21 de maio representantes de alto escalão de vários governos para discutir ações contra o coronavírus. Pelo Brasil falará o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB). Jair Bolsonaro não foi convidado.

Pela manhã, em uma rádio aqui de Belém o assunto virou polêmica, os radialistas instigavam os ouvintes com a pergunta se a participação de Helder em Nova York era prestigio ao Pará ou ao político.

Achei este debate de uma pobreza enorme, ainda mais que os radialistas pecam por não buscarem se informar antes de pautar a matéria.

O convite foi feito porque Helder Barbalho é governador do Pará e tem articulação nos EUA. Recentemente o Governador do Pará, concluiu o curso de gestão International Program for Public Leaders, na Universidade Johns Hopkins, em Washington.

Também é claro que é prestigio pessoal, mas ao mesmo tempo ajuda o Pará a ser lembrado para negócios e turismo.

O Prefeito de Nova York, com este evento, quer chamar a atenção para a importância de sua cidade que vive de turismo de eventos e de compras, mas turismo é um negócio de mão dupla e se for bem aproveitado pode render parceira para os dois lados.

Sei que nada será como antes, só não sei como será

Restaurante americano usando boias para manter
o distanciamento social

Como será a vida daqui por diante depois que a pandemia passar e o vírus se instalar no corpo da população mundial e passar a ser um novo habitante das nossas vidas?

Algumas pessoas continuarão assintomáticas e outras terão recaídas, na segunda onda do coronavírus, chegando a óbito? não sabemos. Sabemos muito pouco sobre a evolução do vírus e ainda não temos vacina.

Muita coisa mudou com o isolamento social e depois, quando puder voltar, sabemos que a vida não será como ante. Vamos para o que a imprensa está chamando de “novo normal”.

Mas como será o novo normal? Vamos falar disso e nos preparar para o futuro?

  • Como será vida com o distanciamento social?
  • O uso de máscara durará até quando?
  • O home office e a automação tomará conta da forma e dos empregos?
  • As reuniões on line serão adotadas como rotina?
  • As compras via internet com as lojas virtuais dominaram o comércio?
  • A frequência aos lugares públicos serão sempre restritas?
  • Os meios de transporte público manterão a higiene e o distanciamento?
  • As empresas de aviação suportarão o custo tendo que transportar poucos passageiros por causa do distanciamento?
  • Os pobres receberão novas moradias menos insalubre?
  • Teremos a universalização do acesso a internet ?
  • As sessões dos parlamentos continuarão virtuais, com transparência e custo reduzido?

Listei algumas perguntas que me vieram espontaneamente, mas sei que temos muitas dúvidas e é hora de falar sobre elas para buscarmos respostas. Poste aqui nos comentários qual a sua noção de novo normal.

Manoel Diniz pergunta: Qual a missão de Mandetta no Pará?

O ex-ministro Mandetta adotou duas posturas em relação ao Pará no mínimo curiosa.

Em entrevista a jornalista Leda Nagle, disse que o pico da doença no Parã seria em junho e que o sistema de saúde agora que iria colapsar.

Em seguida veio a Belém, trazido pelo a entidade Comunitas, que atua em parceira público-privada, e após reunir com a equipe local e com o Governador do Estado, surpreendeu a todos afirmando que a Região Metropolitana de Belém já havia alcançado o pico da contaminação pelo coronavírus.

A declaração de Mandetta recebeu a crítica de Manoel Diniz, marapaniense, profissional da área de saúde, apaixonado pelo SUS, que achei por bem compartilhar com vocês:

“Peço perdão a todos pela intromissão, para, primeiro como cidadão, perguntar qual a missão de Mandetta no Pará, e se veio em visita de cortesia ou representando que instituição para em seguida conjecturar ?
Ora, pelos Mapas apresentados, para a RMB e Estado está cristalinamente evidenciado que o Pico já se deu no inicio de maio, ai convenhamos, não seria o Mandeta a pessoa certa para anunciar aquilo que nós construimos. Como ex- ministro poderia ter mais cuidado para não cometer o erro que cometeu com Leda Nagle.Depois da porta arrombada, fica mais dificil consertar.
Seria hora de perguntar : trabalhas na casa ???
Haveremos isso sim fazer justiça a todos os trabalhadores das Secretarias Municipais e a SESPA que tornaram possível essa travessia !
O Diagrama de Controle fala por si só , não precisando do assessoramento equivocado do Mandetta !”

A pergunta de Diniz precisa ser respondida, pois Mandetta surgiu assim, sem mais nem menos, a nos deixar inseguros.

A culpa é dos comunistas?

No Brasil, 35% dos lares não acessam a internet e nem possuem computador e você sabe de quem é a culpa? Dos comunistas, claro; claro não, vermelho, os vermelhos são o grande mal desse país.

No Brasil, quase 60% da população possui renda familiar de meio salário mínimo e sabe quem é o culpado de uma maldade dessas? Eles, os comunistas vermelhos, esquerdopatas de merda!

No Brasil, a falta de dinheiro faz com que cerca de 32 milhões de pessoas passem fome, mais 65 milhões de pessoas que não ingerem a quantidade mínima diária de calorias, ou seja, se alimentam de forma precária, nem vou perguntar porque você já deve desconfiar que os culpados por isso são os comunistas malditos.

O Brasil, é um dos 15 países mais desiguais do mundo e sabe quem é o responsável por tamanha desigualdade? Os comunistas, é claro. Sempre eles, os vermelhos de merda.

A maioria das cidades brasileiras não tratam o esgoto, nem possuem aterro sanitário para o destino adequado dos seus resíduos e nem dispõe de coleta seletiva, tudo culpa dos comunista.

A educação básica e a saúde no Brasil é só para quem dinheiro, o pobre, esse fica longe de receber os direitos básicos, tudo por culpas das esquerdas.

Habitação sempre foi grave no Brasil. A maioria das famílias brasileiras moram em favelas ou em áreas baixas, habitando cubículos escuros, apertados e insalubres e sabem por que? por causa dos comunistas.

O Brasil sempre foi um país dominado por políticos corruptos, que chegam ao poder por golpes ou por compra de votos, se valendo da miséria do povo, tudo obra destes comunistas poderosos.

No Brasil, os cinco biomas que possuímos, com muitas riquezas, vem sendo devastados pela ganância, sabe de quem, dos comunistas, lógico.

A Floresta Amazônica perde o equivalente a muitos campos de futebol todos os dias, colocando em risco a vida no Planeta Terra, tudo por obra dos comunistas.

O Brasil está entre os país que não fizeram reforma agrária. As propriedades rurais, verdadeiros latifúndios, a maioria destinada a monocultura, são responsável pelo êxodo rural, motor da grande violência urbana, tudo por causa dos comunistas.

No Brasil, mais de 50% das pessoas nunca leram um livro e apenas 5% dos que leram, sabem interpretar o que leram. Égua, como então essas pessoas sabem o que é comunismo, socialismo, esquerda, direita, etc., sem terem lido sobre estas teorias?

Na verdade, as pessoas que falam que tudo é culpa dos comunistas e das esquerdas, não sabem nada dessa ideologias, repetem um mantra elaborado pelos donos do poder, a elite nacional predadora, está sim a grande responsável por não termos um projeto de nação, por termos uma Constituição Federal que nos prometeu uma república e esta nunca saiu do papel.

Da colonização até a sexta república, o poder sempre esteve nas mãos ou controlados pelos mais ricos, menos de 5% de todo o povo brasileiro, eles sim, os verdadeiros responsáveis pelas mazelas deste país. São eles que fazem as crises econômicas e políticas que vivemos metidos, com custo cada vez mais altos.

No Brasil, sempre que os mais ricos entram em conflito pelo modelo econômico ou político, sentido-se ameaçados com a perda de parte dos lucros exorbitantes, mesmo que as mudanças sejam mínimas na brutal concentração de renda, criam o monstro vermelho para assustar as pessoas e justificar golpes na democracia do país, que termina sempre que um novo pacto é acertado entre eles, mantendo o estado de subdesenvolvimento da imensa maioria da população.

A parcela da classe média inculta que os segue, querendo participar do clube fechado deles, parecendo o chefe de escravos, entra no jogo para defender o lucro dos moradores da “casa grande” e toca o terror, chibatando os pretos, os índios e os mulatos, da senzala, “inimigos vermelhos”, que querem implantar o “comunismo” no nosso país e trocar a bandeira verde e amarela pela bandeira vermelha com a foice e o martelo.

Enquanto, isso, na Casa Grande, os brancos fazem as tratativas e acertam o pacto de poder e de riqueza e quando tudo está acertado, promovem alguns da classe média e calam os demais, para que tudo permanecem como sempre foi, até a próxima crise entre eles.

Tá na hora de parar com essa palhaçada. Aqui no Brasil quem é culpado por tudo de ruim é a elite. Nunca teve comunista e nem esquerda no poder desse país. Lula só chegou lá quando fez acordo com eles. Dilma caiu porque não quiz ceder mais do que já tinha cedido. O PT governou colocando pelego nas costas do povo para amortecer o peso da carga.

Bolsonaro é o capitão de chicote nas mãos. Um pitbull que a elite escalou para botar ordem na casa e entregar o país ao capital financeiro e para as multinacionais das comoditties agrícolas e minerais. Paulo Guedes, Tarciso e Teresa Cristina são os verdadeiros ministros. Os Militares, os políticos e os pastores fazem parte do jogo de poder desses setores da economia internacional.

Vamos juntar do lado de cá todos os verdadeiros brasileiros e combater o bom combate, sem trégua e sem aceitar essa farsa. É olho no olho, face to face, nós contra eles. Vamos nos organizar e depois da pandemia, tomar as ruas e desmascaras os entreguistas-bolsonaristas.

Vamos dizer basta de tanta exploração!