Em nome dos vivos quero dizer: Obrigado ao dr. Almir José de Oliveira Gabriel

Hoje eu acordei com saudades do meu amigo Almir Gabriel, ex-senador e ex-governador do nosso estado do Pará.

E por que lembrei-me dele?

Você já deve estar imaginando. Claro, lembrar de um grande médico num momento de pandemia é coisa obvia. Mas foi por muito mais que isso. Foi por dever de justiça.

Fiquei pensando o que seria do Brasil e do Pará se este Senhor não tivesse sido Senador da República durante a Constituinte, não tivesse passado 08 anos pelo governo do Pará e liderado uma verdadeira transformação na saúde?

Claro que cometeu erros. Alguns dirão: ele era turrão; e lembraram de Eldorado dos Carajás. Mas as obras dos homens são medidas quando colocadas na balança para saber dos prós e dos contra. No caso da balança de Almir Gabriel o resultado é super positivo.

Na Assembléia Nacional Constituinte, foi indicado pelo líder do PMDB, Mário Covas, com relator da Comissão da Ordem Social e da suas mãos saiu o Título VIII da nossa Carta Magna, que começa no art. 194 e vai até o 231. Neste trecho valioso da nossa Constituição Federal estão disciplinados os seguintes assuntos: Seguridade Social, Saúde, Previdência Social Assistência Social, Educação, Cultura Desportos, Esporte, Ciência, Tecnologia, Comunicação Social, Meio Ambiente, Família, Criança, Adolescente, Jovem, Idoso, encerrando com um belo artigo dedicados aos direitos dos Índios.

Porém, o assunto que teve a participação mais importante e até decisiva do médico-relator Almir Gabriel (com a participação de outras parlamentares brilhantes, como o médico sanitarista Eduardo Jorge) foi a criação do SUS, Sistema Único de Saúde. Um dos melhores sistemas públicos de saúde do mundo, que a bem da verdade, ainda está sendo implantado, tem falhas e atrasos que se devem aos diversos erros de governantes locais, incluindo a corrupção.

Se o Brasil não tivesse o SUS, que não é só as UPAS e Hospitais, as vacinas ou os exames preventivos, mais uma rede integrada de informações e inteligência, com uso de dados através do DATASUS, nossa tragédia nesta pandemia agora seria monumental. O país estaria amargando muitas mortes, um grande caos nas redes de atendimento e sem ter o que fazer.

Depois de exercer o mandato de senador e participar da Constituinte, Almir Gabriel coordenou um grupo de técnicos e políticos e com um projeto ousado, derrotou velhos caciques paraenses e foi eleito governador do Pará, focando em infraestrutra, logística e na implantação do SUS paraense, apoiando os municípios na atenção básica e construindo a rede estadual de hospitais regionais, que tiveram seguimento com a governadora Ana Júlia, que terminou o novo Hospital da Santa Casa e depois com Simão Jatene, preenchendo de hospitais as demais regiões do Pará.

Foram estas decisões de Almir Gabriel, claro, com as providências céleres do atual governador Helder Barbalho que não titubeou em adotar o isolamento social e não temeu decidir por medidas duras de contenção das aglomerações, que fizeram o Pará não está sofrendo os mesmos traumas que o vizinho estado do Amazonas. Aqui o número de infectados e de mortos serão muito menores que nos outros estados brasileiros que não adotaram as mesmas políticas públicas.

Como deputado estadual, líder do PT, fiz oposição ao Governador Almir Gabriel, mas não uma oposição destrutiva, como vejo em alguns casos, era uma oposição propositiva que o apoiava naquilo que nossos pensamentos coincidiam e lhe criticava quando divergimos, sem negociata ou vantagens indevidas e por isso ganhei dele o respeito, ao ponto de tornar-me seu interlocutor em muitos momentos, incluindo os seus últimos passos na política, quando me convidou para lançarmos pelo Partido Verde um candidato a Governador com seu apoio. Proposta que topei na hora, mas que não vingou porque o seu escolhido não aceitou a missão, com argumentos, na época, irrefutáveis. Depois eu conto essa história.

Muito obrigado ao médico e político Almir Gabriel pelo pela saúde dos paraenses que irão sobreviver a pandemia do coronavírus e deixo aqui aos mais jovens e para aquelas pessoas que olham a política como sinômino de coisas que não presta, a biografia do meu homenageado: Almir José de Oliveira Gabriel.

PS.: quando estava terminando este artigo, recebo com a pesar a noticia do falecimento do Doutor Gerson Peres e prometo fazer um outro sobre este homem de bem e grande político paraenses. Que Deus o receba com todas as honras a ele destinadas.

2 comentários em “Em nome dos vivos quero dizer: Obrigado ao dr. Almir José de Oliveira Gabriel

  1. Obrigada, Ze Carlos. É uma honra relembrar a história de vida do nosso pai. Todo legado deixado por ele na área da saúde e em outras áreas. Ele, como grande líder que foi, pensava o Pará e o Brasil a longo prazo e hoje podemos constatar a importância de todas as lutas, obras, projetos etc. Seriedade, honestidade, competência e paixão pelo bem público foram marcas de Almir Gabriel. Obrigada mais uma vez por seu artigo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s