Poluição sonora no Atalaia não recebe atenção da Policia Militar por falta de efetivo

Quem foi a Praia do Atalaia no último final de semana para descansar, se arrependeu. Além do lixo, da aglomeração e do riso da contaminação pelo coronavírus, teve que enfrentara a poluição sonora dos carros com sons, que mais pareciam aparelhagens sobre rodas, tocavam como se estivessem dentro dos apartamentos.

O som que vinha dos carros, de tão alto, vibrava e sacudia as vidraças das janelas, coitadas, ficavam em tempo de se partirem.

Muitas senhoras, fugindo de meses de isolamento e acreditando na eficiência da força policial se penduraram nos telefones e todas ouviam a mesma resposta: “minha senhora nós ja sabemos deste fato, mas são tantos os acontecimentos e como não temos efetivo, infelizmente não vamos poder atender.”

Além de melhorar o contigente de policiais, a academia que os treina precisa recicla-los para quem entendam os males da poluição sonora e que se trata de um grave crime.

Além de punir esses jovens mal-educados, mimados e sem noção do direito alheio, também seus pais, que assim os criaram, precisam sofrer uma boa reprimenda da lei.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s