As democracias morrem?

No livro “Como as democracias morrem”, os autores, Steven Levitsky e Daniel Ziblatt, alertam: “a democracia atualmente não termina com uma ruptura violenta nos moldes de uma revolução ou de um golpe militar; agora, a escalada do autoritarismo se dá com o enfraquecimento lento e constante de instituições críticas – como o judiciário e a imprensa – e a erosão gradual de normas políticas de longa data.”

Imagem: G1 Globo

As imagens de ontem, quando manifestantes pro-Trump, invadiram o Capitólio, símbolo da democracia americana, chocaram o mundo, que tem nos EUA um exemplo de democracia ocidental, servindo de modelo para questionar ditadores e ditaduras, muitas delas derrubadas por ação do Exercito Americano em socorro as instituições locais.

Não devemos esquecer que os EUA impõe boicote econômico a CUBA e ataca o presidente Maduro, da Venezuela, acusando estes país de ditaduras totalitárias, que desrespeitam os direitos humanos.

Trump, como Bolsonaro, não são democratas e fazem tudo aquilo que os autores do livro alertam: desgastam as instituições, trabalhando para o seu enfraquecimento.

Trump fala em fraude eleitoral sem provas. Bolsonaro questiona o processo eleitoral brasileiro. Trump ataca a imprensa. Bolsonaro também. Trump desfaz das conclusões cientificas e propagandeia cura ao Coronavírus por meio de um medicamento comprovadamente ineficaz. Bolsonaro é seu fã e repete tudo o que o presidente derrotado dos EUA prega.

A democracia é o pior dos regimes políticos, mas não há nenhum sistema melhor que ela, dizia Winston Churchill.

A democracia é um regime político em constante aprimoramento. Os cidadãos e as instituições são os seus melhores guardiões, cuidando para que os seus inimigos não a solapem.

O STF e o Congresso Nacional são instituições fundamentais da democracia. A imprensa livre é o meio pelo qual sabemos quando ditadores e usurpadores se assanham para destruir os pilares da democracia. Instituições da sociedade civil, como a Ordem dos Advogados do Brasil, são fundamentais para fortalecer a democracia.

A direta autoritária não gosta e não quer a democracia, prefere governar como um mito salvador da humanidade. A esquerda autoritária também. Alguns da esquerda acreditam que aquilo que é democracia para o burguês, significa ditadura para os proletários, atribuindo a democracia um valor menor.

Um invasão ao STF é um ataque a democracia. As manifestações violentas nas redes sociais contra meios de comunicação, autoridades, instituições devem ser combatidas.

O Presidente Jair Bolsonaro e seu grupo bolsonarista tentam matar a nossa jovem democracia todos os dias. Devemos colocar freios ao seu intento e salvar nossas instituições. Lembremos, Bolsonaro foi o último presidente a reconhecer a vitória de Joe Biden e não condenou os atos violentos de invasão ao Capitólio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s