A Folha do Norte não serve para fazer chá

O amigo Guilherme Taré, coordenador do Festival TapaJazz (que nome emblemático) é um contador de causos do Baixo Amazonas.

Outro dia, batendo um bom papo, ele contou que alguém, para fazer chá, arrancou uma porção de folha, colocou na água, sem se preocupar em seleciona-las. Indagado se aquilo seria bom, o personagem do nosso Percussionista Santareno tascou-lhe:

“as únicas folhas que não servem para fazer chá são as folhas de zinco e a Folha do Norte”

Ditado popular

Ouvindo a frase, lembrei na mesma hora do grande jornal paraense a Folha do Norte. Era um tempo em que se praticava um jornalismo engajado, militante, que tinha lado, mas que preservava a qualidade das informações e a inteligência da pena.

Selecionei um resumo da história deste matutino, escritas num trabalho acadêmico de jornalismo da UFPa.

Impresso em sua própria tipografia, a “Typ. Da Folha do Norte”, o jornal foi
fundado em 1o de janeiro de 1896 por Enéas Martins e Cypriano Santos, os quais combatiam a política de Antônio Lemos, proprietário de A Província do Pará. A Folha do Norte defendia o Partido Republicano Federal, chefiado por Lauro Sodré e depois por Paes de Carvalho, grandes nomes da política da época (BIBLIOTECA PÚBLICA DO PARÁ, 1985, p. 154). Trazia explicitamente em sua proposta editorial o objetivo de “lutar pelo desenvolvimento político-social da região combatendo a política de Antônio Lemos” (FERNANDES, 2011, p.6).

O trabalho acadêmico pode ser acessado:

http://Jornal Folha do Norte e suas publicações sobre a Amazônia, Resumo: O jornal Folha do Norte (1896-1974) é um dos mais importantes da história da imprensa no Pará. Com longevidade de 78 anos, foi um dos jornais pelo qual os leitores acompanharam acontecimentos regionais, nacionais e também internacionais. Trouxe em suas páginas a vida política do estado, defendendo o Partido Republicano Federal, liderado por Lauro Sodré, e fazendo oposição à política de Antônio Lemos, do Partido Republicano no Pará. Propõe-se, com este artigo, verificar de que forma o jornal se pronunciou sobre Belém, o Pará e a Amazônia, considerando-se a importância da imprensa como produtora de sentidos. Para isso, entendeu-se que seria importante analisar as edições da Folha do Norte, publicadas no mês de janeiro, pois esse é o mês de comemoração de aniversário do jornal e da cidade. Para a realização da pesquisa, foram utilizadas também as seguintes palavras-chave: região norte, Amazônia, região Amazônica,Pará, Belém. Palavras-chave: Mídia impressa; Folha do Norte; produção de sentidos; Amazônia; Pará; Re Pará e a cidade de Belém1 2 3 SILVA, Camille Nascimento da Resumo: O jornal Folha do Norte (1896-1974) é um dos mais importantes da história da imprensa no Pará. Com longevidade de 78 anos, foi um dos jornais pelo qual os leitores acompanharam acontecimentos regionais, nacionais e também internacionais. Trouxe em suas páginas a vida política do estado, defendendo o Partido Republicano Federal, liderado por Lauro Sodré, e fazendo oposição à política de Antônio Lemos, do Partido Republicano no Pará. Propõe-se, com este artigo, verificar de que forma o jornal se pronunciou sobre Belém, o Pará e a Amazônia, considerando-se a importância da imprensa como produtora de sentidos. Para isso, entendeu-se que seria importante analisar as edições da Folha do Norte, publicadas no mês de janeiro, pois esse é o mês de comemoração de aniversário do jornal e da cidade. Para a realização da pesquisa, foram utilizadas também as seguintes palavras-chave: região norte, Amazônia, região Amazônica,Pará, Belém. Palavras-chave: Mídia impressa; Folha do Norte; produção de sentidos; Amazônia; Pará; Região. Introdução A imprensa surgiu no Pará em 1822, com a publicação do jornal O Paraense, de Felippe Alberto Martins Maciel Parente e Daniel Garção de Melo, no quadro das ideias do Movimento Vintista. Nos anos posteriores a 1822, outros jornais surgiram, trazendo a política como assunto recorrente. A partir de 1940, com o jornal Treze de Maio, isso 1 Trabalho apresentado no GT História da Mídia Impressa, integrante do 9o Encontro Nacional de História da Mídia, 2013. 2 3 Coautora, bolsista de Iniciação Científica PIBIC/FAPESPA na Universidade Federal do Pará, estudante de graduação do 7o semestre do curso de Comunicação Social, habilitação Jornalismo. E- mail: millenascimento@yahoo.com.br 4 Coautor, bolsista de Iniciação Científica PIBIC/FAPESPA na Universidade Federal do Pará, estudante de graduação do 5o semestre do curso de Comunicação Social, habilitação Jornalismo. E-mails: jesse_rcc@hotmail.com , jesse.brigida@ilc.ufpa.br Coautora, bolsista PROEX na Universidade Federal do Pará, estudante de graduação do 5o semestre do curso de Comunicação Social, habilitação Jornalismo. E-mail: cleoviana_cn@hotmail.com SEIXAS, Netília Silva dos Anjos BRÍGIDA, Jessé Andrade Santa NUNES, Cleonice Viana Universidade Federal do Pará/ Pará

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s