Quanto custa a comitiva de Helder Barbalho em Glasgow, Escócia, terra do melhor whisky do Planeta

Uma comitiva milionária de paraenses, lideradas pelo governador Helder Barbalho, pagas com dinheiro público, seguiu para cidade de Glasgow, na Escócia, sede da Conferência Mundial do Clima, da ONU, na qual se discute as emergências climáticas, provocadas pelas emissões de gases de efeito estufa para atmosfera, decorrentes das ações humanas.

O Pará é responsável por essas emissões, principalmente pelo seu modelo econômico que retira floresta para criar gado, atividades que são causas da mudanças climáticas, que poderá destruir a vida no Planeta, lembrando que não existe um planeta B (There is No Planet B)

Os custos da viagem, para cinco dias, não saíra por menos de R$30.000,00 (trinta mil reais), com passagem, hospedagem e alimentação, sem whisky, por pessoa. Custo que pode ser muito ou pouco, dependendo do resultado que a delegação obtiver para o população paraense e para a humanidade, incluindo mudar a realidade ambiental e o modelo econômico aqui praticado.

O Pará é um estado rico em biodiversidade, minério, força hidrelétrica, reserva de água doce, podendo ser um potencial econômico ambiental.

No entanto, o modelo econômico predador, baseado na destruição da riqueza florestal, para produzir carne; na invasão de terras indígenas e unidades de conservação por garimpos; na retirada e exportação de minério in natura; tem gerado destruição e comprometimento do clima do Planeta em uma ponta e concentração de renda e miséria em outra.

O Governador e Deputados que foram a Glasgow, precisam, na volta, dizer a que foram, apresentando um relatório público como prestação de contas da missão oficial, mas não só isso.

O mundo e a população paraense esperam das autoridades que foram em comitiva milionária, mudanças e políticas públicas.

Desmatamento zero, não expansão das áreas de pastagens, tecnologia para produção de alimentos com menos impactos, incentivo a bioeconomia, apoio as comunidades tradicionais, quilombolas e indígenas, combate real a pobreza e a desigualdade.

O Pará não pode seguir na trajetória de ser o estado campeão de desmatamento há 15 anos seguidos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s