Verdade climática: desmatamento zero, menos bois e mais florestas, agora!

A água não chega nas torneiras das casas. O prefeito falou na rádio que colocou água na rua. Sim. O tubo passa na rua. Mas a água não chega nas torneiras. Ele mentiu? Não mentiu. Iludiu. Alguns políticos usam as palavras com segundas intenções. Faça um teste. Tente arrancar uma promessa ou pedir algo para certos políticos? Vai sair com evasivas: estamos planejando, vamos ver se dá, deixa eu ver, depois falamos… Nunca um sim. Nunca um não. Promete sem se comprometer. Agora mesmo, quando o Planeta está esquentando, eles seguem saindo pela tangente, escapando das responsabilidades, empurrando com a barriga… A culpa do aquecimento global é das atividades humanas, concluíram os cientistas. O desmatamento das florestas e as emissões de gases de efeitos estufa, são o mal que está levando o clima ao colapso. Tem que parar com tudo isso e salvar à Terra. Aí eles dizem, vamos parar o desmatamento ilegal. Ora, são eles que legalizam tudo. Por que não dizer em claro e bom som: vamos parar todo e qualquer desmatamento? Mas não, acrescentam o termo ilegal, como uma espécie de janela por onde podem escapar e continuar fazendo o que não é para fazer. Seguem tergiversando também em relação aos gases: vamos zerar as emissões liquidas. Emissões líquidas, que droga é essa? Tem que fazer conta e mais conta para saber qual é o líquido? Caramba! Digam: vamos zerar as emissões de gases de efeito estufa e pronto! Custa ser claro? Ultimamente, estão usando as mais apuradas técnicas de publicidade, no estilo do velho Goebbels, repetem mentiras para que tomem a força de verdade. O desmatamento acontece em terras federais, nas estaduais está tudo bem. Nas conferências, longe da realidade local, em inglês caboco, a promessa: The state is green. The ox is green. We are carbon neutral… enquanto a tela exibe o vídeo institucional da Minerva Foods, no lugar da foto dos bois se afogando na baia, no porto de Barcarena. (leia a Coluna do Olavo Dutra). As torneiras das casas precisam de água, assim como a política precisa de verdades. Verdades ditas com todas as letras, com substantivos e verbos, sem adjetivos escapistas. Salvemos a humanidade, salvando a floresta amazônica. Desmatamento zero. Fim da expansão das pastagens. Recuperação das áreas degradadas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s