MORTE DE CLEIDE MORAES – Alvará de soltura para motorista e o que dizem as testemunhas

A juíza Edilene de Jesus Barros Soares, da Vara Criminal de Benevides, expediu nesta sexta-feira (31), o alvará de soltura do motorista Victor Hugo dos Reis Morais, de 25 anos, acusado de estar embriagado e ter provocado o acidente de trânsito que matou a cantora paraense Cleide Moraes, no último domingo, em Santa Bárbara, na estrada de Mosqueiro.
— Ler em ver-o-fato.com.br/morte-de-cleide-moraes-alvara-de-soltura-para-motorista-e-o-que-dizem-as-testemunhas/amp/

PF desmonta quadrilha de desmatadores em Altamira, Brasil Novo, Medicilândia e Uruará

O juiz federal substituto da 4ª Vara Gilson Vieira Filho determinou o afastamento de agentes públicos suspeitos de integrar uma organização criminosa formada por madeireiros, servidores públicos das secretarias municipais de Meio Ambiente, advogados e engenheiros florestais.

A ação da Polícia Federal, autorizada pela Justiça Federal, visou desmontar uma quadrilha de agentes públicos que davam cobertura ao desmatamento e a comercialização de madeira nos municípios de Altamira, Brasil Novo, Medicilândia e Uruará.

O policial rodoviário federal Valderson Vargens da Silva, o policial civil Sérgio Roberto Dias Caldeira e o policial militar Climi Cleber Pinheiro Soares foram afastados do emprego ou função pública.

Wesley Storch, secretário municipal de Meio Ambiente e Turismo de Altamira(SEMAT), Lúcio Francisco de Paula Costa, coordenador da Secretaria de Meio Ambiente da SEMAT de Altamira, Lucas Gomes de Alvarenga Shubert, assessor jurídico da SEMAT de Altamira, e Verbena Regina Sá Brito, assessora jurídica da SEMMA de Brasil Novo, também foram afastados de suas funções.

O sigilo da decisão que ordenou a operação foi levantado na tarde desta quarta-feira (29) pelo juiz federal da 4ª Vara, Antônio Carlos Campelo.

Ossos de mamute bem preservados são achados na Sibéria

Os pastores encontraram parte do crânio de um mamute-lanoso, cujo nome científico é Mammuthus primigenius, além da mandíbula inferior, várias costelas e um fragmento do pé, com tendões ainda presos aos ossos
— Ler em amp.dw.com/pt-br/ossos-de-mamute-bem-preservados-são-achados-em-lago-na-sibéria/a-54324839

Por que o Pará elege tantos políticos populistas e corruptos?

Em 7 de cada 10 lares paraenses alguém recebeu auxílio emergencial no Pará.

O que isso quer dizer?

Somos um estado rico com um povo pobre. Um povo que vive de favores governamentais, sem autonomia pessoal, sem orgulho de manter com dignidade sua família. Dependente e suscetível a ser enganado por políticos corruptos e populistas.

Por isso, insisto que o bom Governador e o político correto será aquele capaz de fazer um transformação econômica para gerar emprego e distribuir renda.

Esse negócio de asfalto pra cá, asfalto pra lá não muda a vida das famílias em nada, até porque o asfalto é caro, retira dinheiro público de outras áreas importantes, enriquece poucos, permite corruptos desviarem recursos públicos e de tão mal feito, dura só até o próximo inverno ou a próxima eleição.

Espaço Aberto: Quando vejo Tom Moore, eu me recuso a aceitar o fim do homem

Porque Tom Moore fez o que fez para ajudar o serviço de saúde de seu país para salvar vidas, nesta época em que o mundo inteiro derrama lágrimas pelas milhares de mortes em decorrência da pandemia.

Porque Tom Moore contrasta com um cenário em que vemos tantas pessoas, inclusive líderes políticos, agindo com crueldade, desumanidade, atrocidade e imbecilidade, tudo porque se aferraram a teses fanaticamente negacionistas que podem estar contribuindo para elevar a mortandade.
— Ler em blogdoespacoaberto.blogspot.com/2020/07/quando-vejo-tom-moore-eu-me-recuso.html

Histórias de Pescadores e peixes

Quem nunca comeu um bom peixe fresco, saído do mar, do rio, do lago e vindo direito para o mercado e do mercado para um bom molho de limão com sal e depois para panela ou para grelha, hein?

Vim para Bragança com a ideia de contar a história das pessoas que vão para as águas, com suas embarcações e tralhas em busca de capturar o peixe. Pensei também em contar a história do peixe, mas duvido que o peixe queira falar e acho que você não está interessado nela, acertei?

Antes de chegar aqui fiz pesquisas. Li a legislação. Consultei os sites oficias. Busquei estudo sobre o assunto. Já tenho muito material acumulado.

De posse dessas informações, percebi que meu universo está dividido entre dois tipo de pesca e de seus profissionais.

O pescador industrial, aquele que captura peixes de águas profundas e revoltas, cujo o produto é destinado, em sua maioria, à exportação.

O pescador artesanal, aquele que fica nas águas internas, nas regiões costeiras e abastece o mercado local.

Tenho que decidir e focar no meu personagem, alias, no nosso personagem, pois você será meu parceiro nesta viagem em busca das aventuras vividas por este seres meio água e meio terra. Aqueles que Jesus Cristos foi buscar no mar da Galileia e os transformou em apóstolos.

Disse tudo isso, para tentar lhe convencer a me auxiliar nesta pesquisa. Me conte histórias. Me mostre boas informações. Vamos fazer o nosso personagem ser conhecido dos brasileiros. Você topa?

Acho que o primeiro passo é definir-mos pelo tipo de pesca. Eu estou inclinado a conhecer a pesca artesanal e o pescador que a pratica. Acho que é bem mais romântico. Mas vamos decidir juntos e para isso espero sua manifestação sem demora.

A bancada do PV na Câmara apresentou ao Governo Federal dois requerimentos de informação relacionados a ações na Amazônia.

A bancada do PV na Câmara apresentou ao Governo Federal dois requerimentos de informação relacionados a ações na Amazônia. Nos documentos, os parlamentares questionam o uso das Forças Armadas e os resultados das operações na região, além das razões para a exoneração da coordenadora-geral de Observação da Terra do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (INPE).
— Ler em www.leandre.com.br/noticia/1575

Governo sanciona com vetos o novo Marco Legal do Saneamento, que ameaça o futuro da Cosanpa

A novo marco legal do saneamento, sancionado pelo Presidente Jair Bolsonaro, com vetos, será a pá de cal sobre a Cosanpa, que será privatizada, isto será uma questão se tempo.

www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/07/veto-de-bolsonaro-no-marco-do-saneamento-abre-nova-crise-com-congresso.shtml

Ex-ministros da Fazenda lançam carta por retomada verde na economia | Diario de Cuiabá

O grupo assina uma carta conjunta. Entre os signatários estão o ex-presidente da República e ex-ministro da Fazenda Fernando Henrique Cardoso, os ex-ministros da Fazenda e colunistas da Folha Armínio Fraga e Nelson Barbosa e os ex-ministros da Fazenda Henrique Meirelles (que atuou também como presidente do Banco Central), Joaquim Levy, Pedro Malan, Eduardo Guardia, Gustavo Krause, Luiz Carlos Bresser-Pereira, Maílson da Nóbrega, Marcílio Marques Moreira, Rubens Ricupero e Zélia Cardoso de Mello.
— Ler em www.diariodecuiaba.com.br/politica/ex-ministros-da-fazenda-lancam-carta-por-retomada-verde-na-economia/535501

Pescador artesanal não é prioridade no Governo de Helder Barbalho, que não tem política pública para o setor

A pesca, muito importante para economia, renda e ocupação no Pará, não recebe atenção por parte do Governo do Estado, que não tem política e nem destina recurso para o setor.

Corvina, Gó, Pescada, Serra, Tamuatá, Anujá, Mapará, Tucunaré, Tambaqui, Pirarucu, Filhote, Pargo, Pirapema, peixes das águas continentais, dos lagos, dos igarapés, dos rios, dos oceanos. A diversidade faz do Pará um campeão em espécies de peixes.

O setor pesqueiro do Pará é forte, aproveitando a quantidade e a qualidade, movimenta milhões e gera muita ocupação, principalmente entre as famílias dos pescadores artesanais.

O setor pesqueiro paraense representa 63% de todo a produção da Região Norte e 15,5% do país, sendo o maior produtor brasileiro de pescado.

Deste volume de produção, a aquicultura, ainda é incipiente, representa apenas 2%, enquanto que a pesca industrial produz 21,4%. O peso maior fica por conta da pesca artesanal, que é responsável por 77,2% de todo o volume pescado nas águas continentais e interiores deste vasto emaranhado de rios, furos, igarapés e de um dos maiores manguezais do país.

Os pescadores artesanais, responsáveis por colocar o Pará em destaque neste setor, atuam sem qualquer presença de políticas públicas do Estado. Não tem tecnologia, não tem fiscalização, não tem sistema de comercialização justo, nem na qualidade de vida das famílias destas pessoas. Basta um simples leitura ao Orçamento Geral para 2020, para constatar que o Governo não tem olhos e nem foi fisgado pela importância econômica deste setor.

veja o quadro do Orçamento Geral do Estado:

Apesar do gordo Orçamento Geral do Estado, as prioridades, as escolhas e os reais interesses do Governo, aparecem no orçamento das pastas.

O orçamento da Secretária de Estado de Desenvolvimento Agropecuária e da Pesca revela o que pensa o Governador sobre o setor produtivo, em especial o da pesca artesanal.

Os pescadores artesanais sem voz e nem representação na Assembléia Legislativa viram um Orçamento do Pará para 2020 de R$27 bilhões, destinar apenas 1,07% para investimento no setor pesqueiro ou míseros R$290.000,00. Sendo que o único programa “Desenvolvimento da Produção Aquícola e Pesqueira, é destinado a aquicultura e não a pesca artesanal.

No verão paraense, muitas vão saborear uma gó frita, um bandeirado assado, um tucunaré na manteiga, uma banda de tambaqui, pescado por estes heróis paraenses, desprezados pelas políticas públicas, mas responsável por colocar o Pará entre os mais produtivos do Brasil.