Garimpeiros invadem terras indígenas dos Mundurucus, com possível apoio de políticos

Não é possível acreditar que garimpeiros possam invadir a Terra Índigena Mundurucus, em Jacareacanga, no Pará, destruir a mata, contaminar rios e igarapés, levar vírus para contaminar a população, retirar ouro para contrabande-lo, sem ter apoio político e de autoridades, seja por ação ou por omissão.

Veja o que o garimpo está fazendo nas Terras Indígenas do Povo Mundurucus em Jacareacanga, aqui no Pará. Um absurdo, uma violência, um roubo, um atentado aos recursos naturais e ao povo do Pará.

O Governador Helder Barbalho, o Presidente Jair Bolsonaro, bem como os Senadores Paulo Rocha, Jader Barbalho e Zequinha Marinho e deputados federais, tem obrigação de agir e parar este absurdo, caso contrário vou entender que são, no mínimo, coniventes.

https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2019/11/05/zequinha-marinho-apresenta-reivindicacoes-do-setor-de-mineracao

https://www.jesocarneiro.com.br/para/ministerio-da-defesa-proibe-fiscalizacao-do-ibama-contra-garimpo-ilegal-no-para.html

Não tem desculpas.

De Temer a Haddad e Amin, políticos de origem libanesa lamentam explosão – 04/08/2020 – UOL Notícias

Entre os políticos descendentes de libaneses no Brasil estão Tasso Jereissati (PSDB), José de Ribamar Fiquene (sem partido), Jorge Fiquene (sem partido, morto em 2011), Paulo Maluf (PP), Wadih Damous (PT), Jorge Maluly Netto (um dos fundadores do PFL, atual DEM), Pedro Simon (MDB), José Farret (ex-PP, sem partido), Antônio Salim Curiati (PP), Paulo Abi-Ackel (PSDB), Ibrahim Abi-Ackel (ex-ministro da Justiça), Jamil Haddad (um dos fundadores do PSB, morto em 2009), Alfredo Buzaid (ex-ministro do STF ) , Simão Jatene (PSDB) , Almir Gabriel (um dos fundadores do PSDB), Paulo Souto (DEM), Esperidião Amin (PP) , Gilberto Kassab (PSD), Fernando Haddad (PT), Jandira Feghali (PCdoB-RJ) e Simone Tebet ( MDB ).
— Ler em noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2020/08/04/temer-amin-abi-ackel-politicos-de-origem-libanesa-lamentam-explosao.htm

Dossiês, fichamentos e perseguições políticos em tempo de democracia

A jornalista paraense Marcia Freitas, teve acesso a sua ficha preparada pelo SNI no período da Ditadura Militar. Estava fichada e isso impediria que tivesse acesso a cargos públicos e vantagens se fosse servidora.

A publicação deste documento de um período triste da nossa história é muito significativo e importante para que os jovens, que nada viveram ou sofreram, mas que hoje são instigados a fazer pouco caso, aprenda com a lição da história e lutem para que os erros do passado não se repitam no presente.

O momento da divulgação da ficha não podia ser outro. O Ministério da Justiça foi flagrado, em plena democracia, produzindo um dossiê de servidores públicos federais nos mesmo moldes do mau exemplo estampado no fichamento de Marcia Freitas.

O Ministro da Justiça tentou amenizar, mas a imprensa revelou que estavam fazendo relatórios com o nome de mais de 600 servidores federais, com fotos e detalhes de publicações em redes sociais, contrários aos fascismo e defesa da democracia.

Ditadura tem que acabar e dossiê de adversários políticos ferem os diretos individuais previstos nas nossa Constituição Federal.

Apresentadora foi proibida de exibir matéria sobre torturas nos presídios do Pará

“Eu fui censurada. Como estava explicando para vocês, eu ia reestrear nessa emissora de televisão hoje. (…) Estava tudo certo. Programa pronto, matéria gravada. Editor se dedicou para fazer um bom programa para vocês, esse compromisso que nós temos com a verdade. Mas eu não imaginava que eu fosse esbarra com o que tem acontecido aqui no Estado do Pará. 
— Ler em blogamazonlive.blogspot.com/2020/07/apresentadora-foi-proibida-de-exibir.html

Bolsonaro é denunciado em Haia por genocídio e crime contra humanidade – 26/07/2020 – UOL Notícias

O presidente Jair Bolsonaro é denunciado por crimes contra a humanidade e genocídio no Tribunal Penal Internacional, com sede em Haia. A iniciativa, protocolada na noite deste domingo, está sendo liderada por uma coalizão que representa mais de um milhão de trabalhadores da saúde no Brasil e apoiado por entidades internacionais.
— Ler em noticias.uol.com.br/colunas/jamil-chade/2020/07/26/bolsonaro-e-denunciado-no-tribunal-de-haia-por-crimes-contra-humanidade.htm

Ossos de mamute bem preservados são achados na Sibéria

Os pastores encontraram parte do crânio de um mamute-lanoso, cujo nome científico é Mammuthus primigenius, além da mandíbula inferior, várias costelas e um fragmento do pé, com tendões ainda presos aos ossos
— Ler em amp.dw.com/pt-br/ossos-de-mamute-bem-preservados-são-achados-em-lago-na-sibéria/a-54324839

Espaço Aberto: Quando vejo Tom Moore, eu me recuso a aceitar o fim do homem

Porque Tom Moore fez o que fez para ajudar o serviço de saúde de seu país para salvar vidas, nesta época em que o mundo inteiro derrama lágrimas pelas milhares de mortes em decorrência da pandemia.

Porque Tom Moore contrasta com um cenário em que vemos tantas pessoas, inclusive líderes políticos, agindo com crueldade, desumanidade, atrocidade e imbecilidade, tudo porque se aferraram a teses fanaticamente negacionistas que podem estar contribuindo para elevar a mortandade.
— Ler em blogdoespacoaberto.blogspot.com/2020/07/quando-vejo-tom-moore-eu-me-recuso.html

Histórias de Pescadores e peixes

Quem nunca comeu um bom peixe fresco, saído do mar, do rio, do lago e vindo direito para o mercado e do mercado para um bom molho de limão com sal e depois para panela ou para grelha, hein?

Vim para Bragança com a ideia de contar a história das pessoas que vão para as águas, com suas embarcações e tralhas em busca de capturar o peixe. Pensei também em contar a história do peixe, mas duvido que o peixe queira falar e acho que você não está interessado nela, acertei?

Antes de chegar aqui fiz pesquisas. Li a legislação. Consultei os sites oficias. Busquei estudo sobre o assunto. Já tenho muito material acumulado.

De posse dessas informações, percebi que meu universo está dividido entre dois tipo de pesca e de seus profissionais.

O pescador industrial, aquele que captura peixes de águas profundas e revoltas, cujo o produto é destinado, em sua maioria, à exportação.

O pescador artesanal, aquele que fica nas águas internas, nas regiões costeiras e abastece o mercado local.

Tenho que decidir e focar no meu personagem, alias, no nosso personagem, pois você será meu parceiro nesta viagem em busca das aventuras vividas por este seres meio água e meio terra. Aqueles que Jesus Cristos foi buscar no mar da Galileia e os transformou em apóstolos.

Disse tudo isso, para tentar lhe convencer a me auxiliar nesta pesquisa. Me conte histórias. Me mostre boas informações. Vamos fazer o nosso personagem ser conhecido dos brasileiros. Você topa?

Acho que o primeiro passo é definir-mos pelo tipo de pesca. Eu estou inclinado a conhecer a pesca artesanal e o pescador que a pratica. Acho que é bem mais romântico. Mas vamos decidir juntos e para isso espero sua manifestação sem demora.

Governo Turco abala o Mundo cristão ao transforma a Basílica de Santa Sofia em Mesquita

O mundo ortodoxo reage duramente à decisão de transformar a Basílica de Santa Sofia em Istambul, na Turquia, numa mesquita. O anúncio de sexta-feira (10/07) foi feito pelo presidente turco Recep Tayyip Erdoğan após a decisão do Conselho de Estado turco de anular o status de museu da basílica.

Santa Sofia. Igrejas ortodoxas: “Uma grande perda para cristãos de todo o mundo” – Vatican News – https://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2020-07/santa-sofia-igrejas-ortodoxas-grande-perda-cristaos-todo-mundo.html

Sem informações não somos cidadãos

Os cidadãos brasileiros tem direito a informação e os governos são obrigados a nos informar corretamente de todas as suas ações. É um direito nosso, escrito na Carta Constitucional de 1988 como princípios importantes, denominado princípios da transparência e da publicidade.

O princípio da publicidade administrativa caracteriza-se também como direito fundamental do cidadão, indissociável do princípio democrático, possuindo um substrato positivo — o dever estatal de promover amplo e livre acesso à informação como condição necessária ao conhecimento, à participação e ao controle da administração — e outro negativo — salvo no que afete à segurança da sociedade e do Estado e o direito à intimidade, as ações administrativas não podem desenvolver-se em segredo. Este direito fundamental desdobra-se, segundo Canotilho, em quatro vertentes:

a) direito de conhecer todos os expedientes e motivos referentes à ação administrativa, bem como seus desdobramentos e resultados, em razão do direito fundamental à informação;

b) garantia frente ao processo de produção de decisões administrativas, em contraposição ao segredo procedimental, por meio da audiência dos envolvidos e interessados, em razão do princípio da ampla defesa;

c) direito subjetivo de acesso aos arquivos e registros públicos, em decorrência direta do princípio democrático;

d) direito de exigir do Estado ações positivas para possibilitar a visibilidade, cognoscibilidade, e controle das ações administrativas1

https://www.conjur.com.br/2018-fev-01/interesse-publico-publicidade-transparencia-sao-conceitos-complementares

Dito isto, vamos aos fatos.

O vice-presidente Hamilton Mourão, presidente do Conselho da Amazônia Legal, esteve no dia 08/07, em Belém, para cumprir agenda com três compromissos oficias.

Após a visita e reuniões oficias do Vice-presidente, não tivemos noticiais oficiais dando conta do que aconteceu, quais os assuntos abordados e que decisões ou ações governamentais foram adotadas em favor do meio ambiente, do desenvolvimento, das queimadas, das ocupações de terras indígenas e unidades de conservação e da ação do Exercito Brasileiro na região.

A ausência de publicidade e transparência por parte do Conselho da Amazônia, além de deixar o cidadão sem poder avaliar o que de fato foi feito em seu nome, permite que se faça desinformação com uso político.

Sem qualquer juízo de valor, apenas com objetivo de permitir uma avaliação isenta do leitor deste blog, deixo aqui a noticia sobre a visita de Hamilton Mourão pela ótica dos dois jornais paraense.

Para O Liberal, Hamilton Mourão veio ao Pará firmar acordo de cooperação para agricultura: “União e Estado firmam cooperação para agricultura”.

Para o Diário do Pará, o objetivo da visita de Mourão foi elogiar o Governador Helder Barbalho pelas medidas no combate ao coronavírus e receber o título de cidadão paraense: “Vice-presidente elogia medidas do Estado no combate ao coronavírus”.