Uno-me ao Senador Jader Barbalho em defesa do Pará, contra a Vale e o Governo Federal

O Tribunal de Contas da União aprovou, no última dia 29/07, a renovação antecipada da concessão que Vale detém sobre a Ferrovia Carajás, por mais trinta anos. A empresa deve fazer investimentos, como forma de compensação no valor de R$ 9,8 bilhões.

Todo o recurso da compensação será investido fora do Estado do Pará foi o que denunciou o Senador Paraense Jader Barbalho, no último domingo. Jader reclama, e com razão, que a empresa e o Governo de Jair Bolsonaro, ignoraram solenemente os interesses do nosso Pará.

A Pará deseja, e tinha como certo, a construção de uma ferrovia ligando a Estrada de Ferro Carajás ao Porto de Barcarena, mas todo o recurso da compensação será utilizada para beneficiar o vizinho estado do Mato Grosso.

Uno-me ao protesto de Jader Barbalho e conclamo todos os demais parlamentares, partido políticos, entidades de classe e líderes da nossa sociedade a fazerem o mesmo.

Os interesses do Pará devem estar acima de qualquer divergência ou causa menor.

A Vale só antecipou a concessão para impedir a entrada dos trens chineses na Ferrovia, o que mudaria o seu jogo de exploração e lucro desmedido. A empresa minerador trata o Pará com migalhas e propagandas, nos dando em troca de muitas riquezas, premio para alguns jornalistas e míseros apoios culturais. Deixemos de ser colonizados e vamos gritar forte.

O Pará não pode continuar tendo suas riquezas roubadas e levadas para engordar os cofres e interesses estranhos aos do nosso povo. Esta Ferrovia até Barcarena, bem como a Ferrovia Estadual paraenses são prioridades para gerar emprego e renda aqui.

PF desmonta quadrilha de desmatadores em Altamira, Brasil Novo, Medicilândia e Uruará

O juiz federal substituto da 4ª Vara Gilson Vieira Filho determinou o afastamento de agentes públicos suspeitos de integrar uma organização criminosa formada por madeireiros, servidores públicos das secretarias municipais de Meio Ambiente, advogados e engenheiros florestais.

A ação da Polícia Federal, autorizada pela Justiça Federal, visou desmontar uma quadrilha de agentes públicos que davam cobertura ao desmatamento e a comercialização de madeira nos municípios de Altamira, Brasil Novo, Medicilândia e Uruará.

O policial rodoviário federal Valderson Vargens da Silva, o policial civil Sérgio Roberto Dias Caldeira e o policial militar Climi Cleber Pinheiro Soares foram afastados do emprego ou função pública.

Wesley Storch, secretário municipal de Meio Ambiente e Turismo de Altamira(SEMAT), Lúcio Francisco de Paula Costa, coordenador da Secretaria de Meio Ambiente da SEMAT de Altamira, Lucas Gomes de Alvarenga Shubert, assessor jurídico da SEMAT de Altamira, e Verbena Regina Sá Brito, assessora jurídica da SEMMA de Brasil Novo, também foram afastados de suas funções.

O sigilo da decisão que ordenou a operação foi levantado na tarde desta quarta-feira (29) pelo juiz federal da 4ª Vara, Antônio Carlos Campelo.

Quem estraga a política são os políticos sabinos

O deputado federal Celso Sabino pediu inscrição como candidato a prefeito de Belém pelo PSDB.

O pediu, segundo anunciou a coluna do Bacana foi protocolado perante a Executiva Municipal.

Tudo seria normal se não fosse os fatos protagonizados pelo próprio Sabino, que o descredencia dessa pretensão política.

Ele é ainda filiado ao PSDB, deputado federal pela legenda e eleitor de Belém.

Ocorre que Celso Sabino, logo após eleito, diga-se por obra e graça do apoio da máquina, se afastou do ninho tucano e sua irmã foi confirmada na JUCEPA pelo Governador Helder Barbalho. Mostrando sua inclinação por governos de plantão.

O deputado Sabino controla o Partido Solidariedade e só ainda não se filiou nesta sua nova legenda para não perder o mandato por infidelidade.

Note-se ainda que o controle do PSDB municipal de Belém é do prefeito Zenaldo Coutinho que está comandando sua própria sucessão e nesta articulação o Deputado Celso não tem espaço.

O deputado Celso Sabino sabe que não tem qualquer simpatia dentro do PSDB Municipal e muito menos manteria o leque de partido aliados ao prefeito, por isso tem chance reduzidíssima de apoio oficial para sua pretensão.

Sabedor dessa pouca chance, por que Sabino pleiteia a vaga de candidato municipal pelo PSDB?

Aqui é que morar a razão do título deste artigo.

O Deputado age de caso pensado para melar o jogo, criar dificuldades e usar tudo como moeda de negociações. Sua movimentação, com certeza, está sendo comemorada pelos estrategistas do MDB e de outras legendas com pretensões em dirigir os destinos da Capital Paraense.

Neste episódio e em outros, o que menos interessa são os problemas das pessoas que moram na cidade de Belém e precisam dos servos públicos de transporte, moradia, emprego, saneamento, arborização, cultura, lazer.

Estas manobras dos políticos sabinos, que usam a política para seus objetivos de poder pessoal, desprezando a principal função desta nobre atividade, que é servir os interesses coletivos, é que provocam a desconfiança da população e fazem o povo achar que todos os políticos são iguais, nunca se dão respeito e nem respeitam o desejo popular.

Fiscalize os prefeitos e vereadores corruptos usando a Lei de Acesso a Informação

Os Governos, o Poder Legislativo, o Poder Judiciário, o Ministério Público, as empresas públicas e todos que lidam com recursos públicos são obrigados a prestar informações para você, cidadão. É.

Isto está previsto no inciso XXXIII, art. 5º, art. 37 e 216 da Constituição Federal, que foram regulados pela Lei Federal n.º 12.527/2011, LAI – Lei de Acesso a Informação. Uma lei nossa. Uma lei do povo.

Por esta Lei, os governantes e demais chefes de poderes devem manter ativo e acessível, sistema de informações com nome, departamento, telefone de todos os dirigentes de órgão público. Devem manter visível e acessível todas as informações de gastos públicos, contratos, licitações e demais despesas. Precisam disponibilizar meios para que o cidadão solicite informações que não esteja neste sistema.

A LAI é muito boa e ajuda a transparência, bem como garante o direito a liberdade de expressão, garantindo a democracia e o exercício da cidadania.

Vamos ter eleições municipais, período em que muitos prefeitos e vereadores se utilizam da máquina pública para vencer as eleições de forma ilícita. Para que isso não aconteça, você, cidadão consciente precisa exercer seu direito a informação e fiscalização, evitando a corrupção e o prejuízo coletivo.

Vou lhe ajudar, publicando aqui um cartilha com todas as informações sobre a LAI. Agora, pelo amor de Deus, não vá decepcionar e deixar passar as bandalheiras destes políticos safados, bandidos, corruptos, raposas velhas. Com o acesso as informações a fiscalização é sua. Faça a sua parte.

Espaço Aberto: Simão Jatene bate o martelo e anuncia que não será candidato a prefeito de Belém em novembro

O ex-governador Simão Jatene (PSDB) anunciou na última terça-feira (21), em reunião realizada no escritório do PSB, que não será candidato a prefeito de Belém nas eleições de novembro. O prefeito tucano Zenaldo Coutinho esteve presente ao encontro,
— Ler em blogdoespacoaberto.blogspot.com/2020/07/simao-jatene-bate-o-martelo-e-anuncia.html

Poluição sonora no Atalaia não recebe atenção da Policia Militar por falta de efetivo

Quem foi a Praia do Atalaia no último final de semana para descansar, se arrependeu. Além do lixo, da aglomeração e do riso da contaminação pelo coronavírus, teve que enfrentara a poluição sonora dos carros com sons, que mais pareciam aparelhagens sobre rodas, tocavam como se estivessem dentro dos apartamentos.

O som que vinha dos carros, de tão alto, vibrava e sacudia as vidraças das janelas, coitadas, ficavam em tempo de se partirem.

Muitas senhoras, fugindo de meses de isolamento e acreditando na eficiência da força policial se penduraram nos telefones e todas ouviam a mesma resposta: “minha senhora nós ja sabemos deste fato, mas são tantos os acontecimentos e como não temos efetivo, infelizmente não vamos poder atender.”

Além de melhorar o contigente de policiais, a academia que os treina precisa recicla-los para quem entendam os males da poluição sonora e que se trata de um grave crime.

Além de punir esses jovens mal-educados, mimados e sem noção do direito alheio, também seus pais, que assim os criaram, precisam sofrer uma boa reprimenda da lei.

Secult coloca carroça na frente dos bois no caso do Parque de Belém

A SECULT lançou um concurso público para a população escolher entre dois projetos, qual o melhor para ser construído no espaço onde hoje temos o Aeroporto Protázio de Oliveira, conhecido como Aero Clube. Antes de sair votando neste ou naquele, é bom que o Governo do Estado esclareça alguns pontos ainda sem respostas.

O primeiro deles são as áreas verdes do entorno. Estas áreas são importantes ambientalmente para qualidade de vida de toda Belém. São áreas de respiro, de produção de oxigênio, de purificação do ar poluído e abrigam muitas especieis urbanas. Elas, embora muito cobiçadas para verticalização, estão protegidas por ser área militar e em razão das restrições de altura de construção em face do aeroporto para pequenas aeronaves.

O segundo problema a ser solucionado diz respeito a própria aviação de pequeno porte, que utiliza o Aero Clube para pouso e decolagem, trazendo pessoas doentes, inclusive, fundamental para atender municípios isolados, como são os do arquipélagos do Marajó. Transferi-los para Outeiro ou Mosqueiro seria uma drama para quem necessita desses serviços fundamentais.

O terceiro problema ainda pendente é a liberação por parte do Governo Federal e os recursos que ainda não constam no Orçamento do Estado para custear as obras.

Resolvido esta pendências estaremos prontos para ganhar um parque sem perder área ambiental, nem prejudicar pessoas necessitadas e ter a garantia de que um vez escolhido o projeto este será executado no prazo anunciado.

Votar e escolher um dos dois projeto, sem resposta para está importantes questões, significa atropelar o processo, com grave prejuízos para comunidade de Belém, que deseja um parque, mas precisa saber que tem preços a pagar.

A vida emergencial não tem prazo para acabar

O auxilio é emergencial, feito para três meses, agora, com mais duas parcelas extras, começa a preocupar quanto ao futuro das pessoas beneficiadas e a própria economia que dele está dependendo.

As filas em torno da Caixa e das Agências Lotéricas para os beneficiários do Auxílio Emergencial continuam, assim como a Covid-19 permanece nas nossas vidas sem dar trégua.

O Brasil está no platô de 1000 mortes por dia há muitas semanas e em alguns estados voltou a crescer os casos de infectados.

A vacina ainda está na fase de pesquisa, até aprovarem para iniciar a produção ainda demora.

O cenário é de incertezas e a economia ainda não se recuperou para liberar os cofres do pagamento deste valor que veio em boa hora para multidões de brasileiros, mas também para aquecer as vendas no comércio e no varejo.

Os nossos dirigentes políticos, os da economia e os líderes das entidades civis estão nos devendo uma discussão aprofundada, baseada em dados e que apontem caminhos para os novos tempos.