Quem tem medo de debate?

Os debates entre candidatos a um cargo de prefeito é muito importante para democracia e para a decisão do eleitor.

A cidade e seus cidadãos esperam o bom confronto de ideias para se posicionar melhor, saber quem são os candidatos de verdade sem os truques de marqueting.

Hoje está programado o primeiro e único debate entre os candidatos a prefeito da campanha em Belém. O debate será uma realização do Portal Roma News.

Diminuindo a importância deste encontro, os dois candidatos que estão se achando no segundo turno, Edmilson Rodrigues e José Priante não querem participar. Leia https://www.romanews.com.br/eleicoes/edmilson-rodrigues-e-priante-se-recusam-a-participar-de-debate-com/99165/

O medo deles é o desgates e a perda de pontos na preferência do eleitor. Isto pode ser uma decisão acertada do ponto de vista de cada um deles e do seus interesses eleitorais, mas não é do ponto de vista da democracia e do direito que o eleitor e morador da cidade tem em saber o que de fato eles pensam e propõe para resolução dos nossos problemas.

José Priante não quer responder, por exemplo, pelo pedido de afastamento e o processo por corrupção, que o Ministério Público ingresso contra o Governador Helder Barbalho. Mas o Edimilson Rodrigues não tem o que esconder.

A ausência deles no debate não tirará o interesse dos eleitores em assistir os demais candidatos. A audiência será alta e os ausentes é que devem ser punidos por tentarem escapar da verdade e do bom confronto eleitoral.

Esperamos que mudem de ideia, percebam a burrada e a desconsideração com o cidadão e compareçam ao debate, exponham seus pensamentos e rebatam as criticas justas ou aos ataques desmedidos.

Edmilson e Priante, não fujam, respeitem os eleitores belenenses. Os eleitores que moram em edifícios não tem informações boas sobre seus projetos. A campanha porta a porta não os alcança, recebem tudo pelos canais de comunicação e o Portal Roma News é um bom meio de informações.

Segundo turno bom para o eleitor de Belém: Edmilson Rodrigues x Thiago Araújo

Um confronto de segundo turno nas eleições sempre ajuda na escolha e é melhor para os eleitores. Ajuda porque permite o confronto das ideias, das propostas, dos projetos. Os candidatos são submetidos a verdadeira batalha de críticas e avaliações, o que permite a quem vai decidir os rumos da cidade ter uma melhor noção de quem está melhor. mais preparado e tem as melhores soluções.

No caso de Belém, as pesquisa apontam dois cenários possíveis. Em todos os dois, segundo os institutos, o ex-prefeito Edmilson Rodrigues estará no segundo turno, tem uma cadeira cativa a esperar de quem irá enfrentá-lo. Priante e Thiago Araújo, segundo estas mesmas pesquisas, tem chances de ser o adversários do Ex-prefeito.

Quem desses seria o melhor para termos um bom segundo turno?

Minha indicação seria o candidato apoiado pelo atual prefeito, Thiago Araújo e eu explico porque.

O bom do confronto eleitoral de segundo turno é termos de um lado a oposição e do outro o que defende a gestão que está em curso.

Os erros da gestão serão apontados e muito bem apontados pelo candidato da oposição. Este exagerará, carregará nas tintas, verá tudo transformado em caos, passará ao eleitor a ideia de terra arrasada. Mas será que tudo foi ruim e que nada de bom pode ser aproveitado e mantido para o bem da cidade?

Ai entra o papel importante do candidato apoiado pela administração atual. Cabe a ele a defesa dos bons feitos do atual prefeito. Desatacará sempre aquilo de bom, até exagerando também um pouco. Mas o eleitor, com sua vivência pessoal de morador da cidade, somado as críticas do adversário, poderá fazer sua própria avaliação não deixando que as coisas boas e que custaram o seu dinheiro, sejam jogadas na lata do lixo, permitindo ao opositor, caso seja eleito, começar novas experiências, algumas até aventureiras, matando a continuidade e o aperfeiçoamento das boas coisas.

Caso o cenário do confronto se dê entre o candidato Edmilson Rodrigues e o deputado federal José Priante, tudo o que foi falado acima se perderá. O debate virará um baixaria de avaliações pessoais, de um tempo muito passado, onde Edmilson foi prefeito e que a cidade já passou por duas novas experiência em 16 anos. Priante tentará desqualificar a pessoa do oponente e não as propostas. Todos perdemos e perdemos muito. Sem contar que Priante, caso eleito prefeito de Belém, colocará o MDB em posição super vantajosa para o confronto eleitoral de 2022, em prejuízo da democracia e da alternância de poder.

O melhor e mais inteligente, do ponto de vista do morador, do cidadão e do eleitor belenense é Edmilson Rodrigues x Thiago Araújo, confronto de segundo turno verdadeiro e bom para o futuro da Cidade. Como estas duas candidaturas, estaremos avaliando, inclusive os apoios e a as alianças, que serão muito mais disputadas entre as duas opções, uma de esquerda e outra de centro, já que Priante, de tão fluido, não permite um boa e clara definição ideológica de onde ele se enquadra.

O Brasil precisa encontrar seu Joe Biden e sua Kámala Harris

O Brasil precisa encontra os seus valores democráticos e o seu Joe Biden e sua Kámala Harrius para virar a página do ódio e construir um pais forte, justo e ambientalmente sustentável.

A vitória de Joe Biden e de Kámala Harris foi a vitória da democracia americana. Foi a vitória dos valores de uma país construído em cima de pilares seguros. Foi a vitória dos negros e das mulheres, mulheres como a vice-presidente Kámala Harris, a coordenadora de campanha Jean O ‘Malley e a ativista da Georgia, Stacey Abrams. A sociedade americana presa e defende este valores, por isso, qualquer que seja a ideologia, qualquer que seja a bandeira política, deve respeitar primeiro os valores sob os quais repousam o espirito cívico do povo, da verdadeira nação.

Quais os valores cívicos da sociedade brasileira?

O povo brasileiros escolheu Jair Bolsonaro para presidente do nosso país, acreditando que este senhor, na presidência, preservaria valores da família, da pátria e das liberdades, pelo menos era isso que clamavam os que empunhavam sua bandeira. Mas o que ele fez foi dividir ainda mais um país tão dividido. Pregou o ódio. Governo para os seus. Foi irresponsável com a saúde pública. Estimulou o machismo e a homofobia.

Nossa sociedade brasileira é diversa, plural, mas com muitas feridas abertas, deixadas por diversos episódios históricos mal resolvidos.

Temos a questão de pobreza e desigualdade gritantes. Somos equiparados a país extremamente pobres em termos de índice de desenvolvimento humano. Esta chaga, como se fosse uma veia aberta no Brasil, é responsável por cadeias cheias, pela violência urbana, por ausência de democracia.

Outras grande ferida aberta é a questão racial. O Brasil é constituído de maioria miscigenada, descendentes de indígenas e negros. Porém, esta população sempre foi tratada com discriminação e vive a margem de tudo.

A violência e a discriminação de gênero é uma dura e triste realidade no nosso país. A violência doméstica, com um estupro a cada 08 minutos, a maioria de meninas de até 13 anos. A homofobia como uma doenças terrível que ataca os mais vulneráveis desta nossa sociedade de dominação branca e machista, nos faz muito mal.

Se, olharmos o Brasil, ainda veremos fome, analfabetismo, isolamento digital e uma enorme desigualdade regional.

O Brasil não fez reforma agrária. O Brasil não trata corretamente os povos indígenas e populações tradicionais. O Brasil não sabe cuidar de suas riquezas ambientais, distribuídas e cinco biomas, sendo a Amazônia a mais sofrida por ataques da ganância de pessoas e empresa em busca de madeira, minério e terra.

Um país com tantos problemas, precisa de líderes políticos que unam a nação e trabalhem sempre em busca do consenso. O Brasil manteve-se gigante até aqui, mas a união territorial ainda é mantida a ferro e fogo. Unir o país em prol de resolver nossas feridas internas, buscando aperfeiçoar e fortalecer nossas instituições e a nossa democracia é a prioridade.

Jair Bolsonaro foi uma resposta a direita, contra o extremismo de esquerda e a contra os desmandos da velha política enganadora. Uma resposta que acirrou ainda mais nossos conflitos internos. Agora é hora de passarmos por isso e virar a página. Devemos encontrar o nosso Joe Biden e a nossa Kámala Harrys e com eles festejar a vitória de um novo tempo.

Democracia é derrotar o mal

Vamos cuidar da nossa democracia.

Em sete dias vamos nos encontrar com as urnas e escolher prefeitos, vereadores, as cidades que queremos morar. Podemos e devemos agregar o elemento democracia, derrotando todos os bichos escrotos.

Fechemos as portas da politica aos oportunistas, aventureiros, autoritários, disseminador de ódio, adeptos das teorias conspirativas, negacionistas, udenistas, alpinistas políticos, corruptos, direitistas, burros e toda sorte de representante do mal.

Se quisermos derrotar o outro em 2022, como fez o povo americano em
2020, a hora de começar é 15 de Novembro. Vote com consciência e com amor a democracia.

Steve Bannon Loses Lawyer After Suggesting Beheading of Fauci – The New York Times

Homem mal que assessorou os bolsonaristas e olavistas. Vejam onde estes malditos foram buscar inspiração

Mr. Bannon, the former adviser to President Trump, said the heads of the F.B.I. director and Dr. Anthony Fauci should be put on pikes, leading Twitter to ban one of his accounts.
— Ler em www.nytimes.com/2020/11/06/nyregion/bannon-lawyer-beheading.html

Republicanos, Trump e Bolsonaro representam pessoas

As apurações das eleições americanas seguem e o resultado ainda não pode ser cravado. Até aqui, Joe Biden está ligeiramente à frente.

Olho para o mapa dos EUA e vejo que os cidadãos urbanizados são Democratas. Os que moram em região rural, são republicanos.

O Brasil, daqui a pouco vai as urnas também. Dia 15 de Novembro estaremos escolhendo nossos prefeitos e vereadores. O eleitor nem está ligando o seu voto de agora com a próximas eleições gerais, quando terá que escolher reeleger o presidente Jair Bolsonaro ou mudar a rota política do país.

Os partidos e os políticos, no entanto, sabem que as urnas municipais serão uma prévia do futuro do país. As forças políticas se reorganizam de baixo pra cima. Quem ganhar as capitais e as grandes e médias cidades, terá força para pensar ou participar ativamente dos destinos do país.

O que importa é saber que o voto representa a visão de mundo das pessoas. São valores que o eleitor deseja preservar. Este valores são simbolizados pelos projetos apresentados pelos políticos. Trump representa estes valores. Bolsonaro também representa valores de brasileiros.

A classe política deve saber dialogar com aquilo que sonham as pessoas. Ficar irritado com quem escolhe o Trump ou o Bolsonaro como símbolo representativos dos valores que elegem como prioridades para suas vidas não ajuda. O melhor é entender quais são esses valores e porque são tão importantes para estas pessoas.