Helder Barbalho é alvo de uma segunda ação que apura corrupção na saúde pública em tempo de COVID-19

Um bilhão e duzentos milhões de reais é o prejuízo para saúde dos paraenses, causado por roubo, por desvios e corrupção praticadas por uma ORCRIM – Organização Criminosa, que segundo o Ministério Público Federal, tem como líder o próprio Governador do Estado, Helder Barbalho, filho do senador Jader Barbalho, da deputada federal Elcione Barbalho e primo do também deputado federal e postulante ao cargo de Prefeito de Belém, José Priante.

No pedido feito ao STJ, os investigadores do MPF afirmam que “o governador do Estado do Pará, Helder Barbalho, tratava previamente com empresários e com o então chefe da Casa Civil sobre assuntos relacionados aos procedimentos licitatórios que, supostamente, seriam loteados, direcionados, fraudados, superfaturados, praticando prévio ajuste de condutas com integrantes do esquema criminoso e, possivelmente, exercendo função de liderança na organização criminosa, com provável comando e controle da cadeia delitiva, dado que as decisões importantes acerca dos rumos da organização criminosa lhe pertenciam”.

https://www.poder360.com.br/justica/pf-mira-suposto-desvio-de-r-12-bilhao-em-contratos-da-saude-no-para/

A Operação desencadeada pela Policia Federal, foi autorizada pelo ministro Francisco Falcão, do Superior Tribunal de Justiça, que determinou, além da busca e apreensão no Gabinete do Governador, a prisão de seus auxiliares direitos. Foram presos temporariamente o secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia e ex- chefe da Casa Civil, Parsifal Pontes; o Secretário de Transporte, Antônio de Padua e o assessor especial, Leonardo Maia Nascimento.

O grupo criminoso é acusado de praticar os seguintes crimes: fraude a licitação, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva, corrupção ativa lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Todos este crimes, investigados pelo Ministério Público, Polícia Federal e Controladoria Geral da União, visaram combinar e superfaturar preços de serviços de saúde para população, dirigindo os contratos públicos para as empresas de membros da ORCRIM, arrombando os cofres do Estado e causando prejuízos financeiros e a saúde de pessoas.

A operação S.O.S da PF é a segunda só este ano, tendo como alvo a ORCRIM que se apossou do Pará, parece que com único objetivo fazer fortuna fácil. O Governador Helder Barbalho também foi alvo de um outra operação de combate a corrupção denominada PARA BELLUM, na qual, por determinação do ministro Francisco Falcão, teve R$ 25 milhões de bens bloqueados.

O líder dos criminosos, no sentir do MPF, Helder Barbalho, é dono de uma enorme cadeia comunicação de massas, formada por rádios, televisão, portal e jornal e através destes veículos de comunicação tenta driblar a gravidade dos fatos, negando tudo, se dizendo perseguido ou usando seus meios de comunicação para jogar lama em todos que se opõe aos inaceitáveis crimes com o povo paraense.

A ORCRIM conta ainda com o estranho silêncio das forças política ditas de esquerda, de sindicatos e de organizações da sociedade civil. Que nem uma nota ou um pequeno suspiro se descontentamento ou defesa do erário emitem.

O espantoso é ver o Ministério Público Estadual, o TCE e a Assembléia Legislativa do Estado, órgão responsável por fiscalizar o Poder Executivo, quedar-se inerte, sem uma só manifestação oficial que explique a ausência de cumprimento do seu dever constitucional ou ajude a população a compreender a gravidade das acusações contra as mais altas autoridades do Estado.

Os desdobramentos ainda vão render outras ações e o processo contra os envolvidos, que correrão na Justiça Federal, com as provas coletadas durante as buscas e apreensões e as prováveis confissões dos presos.

Enquanto não se tem um desfecho jurídico, o povo do Pará seguirá sofrendo os prejuízos dos desvios das vultuosas somas de dinheiro público da saúde e de todas as consequências dos desgastes públicos para imagem do estado.

Desmatamento e Corrupção, qual é o crime que mais lhe incomoda?

O Brasil se mobilizou contra a corrupção e exigiu das autoridades investigações, condenação e prisão dos corruptos. A corrupção foi considerada a desgraça do Brasil, responsável pela pobreza, pela miséria e pela ausência de serviços públicos essenciais.

O desmatamento é tão ou mais grave que a corrupção.

Primeiro porque a pessoa desmata áreas públicas que pertence a todos nós para retirar madeira e vendê-la, ficando com o produto da venda deste bem que público. É como se alguém resolvesse se apropriar de uma escola pública, expulsar os alunos e vendê-la a uma empresário privado para montar um escola e cobrar mensalidade.

Em segundo lugar, ao desmatar a área pública, o bandido destrói o habitat, a casa, o lar de várias e importantes espécies, que precisam daquelas árvores para viver e gerar vidas. O prejuízo ambiental é muito grave. As pessoas que adentram na floresta para desmatar, também se contaminam com vírus, alguns conhecidos, como a malária, outros ainda estranhos e muito perigosos por não ter remédio e nem vacina eficaz ou por provocar efeitos terríveis aos seres humanos. Sim, pois o bandido contaminado traz o vírus para o convívio humano, podendo desencadear um pandemia e nos colocar em perigo.

Por último, mas não derradeiro, em face dos efeitos desconhecidos e ainda não testados, o desmatamento compromete o equilíbrio do clima de todo o Planeta e o futuro das próximas gerações.

Os efeitos da corrupção são graves, mas o efeitos dos desmatamento são ainda muito pior. Mas a corrupção mobiliza mais porque as pessoas já entenderam que é uma prática criminosa inaceitável. Falta ter este mesmo sentimento em relação ao desmatamento e ao desmatador.

A corrupção articulada esta virando o jogo no Brasil

STF impõe derrota a Lava Jato atendendo pedido da defesa para retirar do processo a delação premiada de Antonio Palocci e o PT comemora.

“O STF acaba de reconhecer, em julgamento de HC da defesa de Lula, q Sergio Moro atuou politicamente em 2018 ao vazar ilegalmente delação de Palocci às vésperas da eleição. É oficial: Moro atuou para eleger Bolsonaro” Glessi Hofmam

O ex-juiz Sergio Moro responde:

c) Eu, como juiz, sequer proferi sentença na ação penal na qual houve a inclusão da delação de Palocci;

d) a sentença condenatória contra o ex Presidente que proferi é de julho de 2017, ou seja, foi em outra ação penal e muito antes de qualquer campanha eleitoral, sendo ainda confirmada pelo TRF4 e STJ.”

O povo brasileiro paga toda a conta e eles passam a régua.

Bolsonaro é denunciado em Haia por genocídio e crime contra humanidade – 26/07/2020 – UOL Notícias

O presidente Jair Bolsonaro é denunciado por crimes contra a humanidade e genocídio no Tribunal Penal Internacional, com sede em Haia. A iniciativa, protocolada na noite deste domingo, está sendo liderada por uma coalizão que representa mais de um milhão de trabalhadores da saúde no Brasil e apoiado por entidades internacionais.
— Ler em noticias.uol.com.br/colunas/jamil-chade/2020/07/26/bolsonaro-e-denunciado-no-tribunal-de-haia-por-crimes-contra-humanidade.htm

Espaço Aberto: Simão Jatene bate o martelo e anuncia que não será candidato a prefeito de Belém em novembro

O ex-governador Simão Jatene (PSDB) anunciou na última terça-feira (21), em reunião realizada no escritório do PSB, que não será candidato a prefeito de Belém nas eleições de novembro. O prefeito tucano Zenaldo Coutinho esteve presente ao encontro,
— Ler em blogdoespacoaberto.blogspot.com/2020/07/simao-jatene-bate-o-martelo-e-anuncia.html

Por que o Pará elege tantos políticos populistas e corruptos?

Em 7 de cada 10 lares paraenses alguém recebeu auxílio emergencial no Pará.

O que isso quer dizer?

Somos um estado rico com um povo pobre. Um povo que vive de favores governamentais, sem autonomia pessoal, sem orgulho de manter com dignidade sua família. Dependente e suscetível a ser enganado por políticos corruptos e populistas.

Por isso, insisto que o bom Governador e o político correto será aquele capaz de fazer um transformação econômica para gerar emprego e distribuir renda.

Esse negócio de asfalto pra cá, asfalto pra lá não muda a vida das famílias em nada, até porque o asfalto é caro, retira dinheiro público de outras áreas importantes, enriquece poucos, permite corruptos desviarem recursos públicos e de tão mal feito, dura só até o próximo inverno ou a próxima eleição.

O Diário do Pará e a desinformação com objetivos políticos

A manchete é escandalosa, mentirosa e política, política no pior sentido, alias nem gosto de dizer que isso é política, coitada da política que vem levando a culpa da falta de ética. Alguns podem chamar isso de noticia falsa, mas o termo correto a ser empregado neste caso é desinformação, desinformação deliberada e com objetivo político (lá vai o político pagando o pato) que beira ao cometimento de crime contra a honra, disfarçado de noticia séria.

A manchete é desmentida logo no primeiro paragrafo do subtítulo “Investigação da Polícia Federal aponta que entre os anos de 2010 e 2019…”. Ora, se foi entre 2010 e 2019, pegou o último ano do Governo Ana Júlia, que era PT e hoje está no PCdoB, dois partido aliados do atual Governador e de seu grupo político, que controlam as manchetes e o próprio jornal.

A manchete também desinforma ao usar o substantivo masculino “Governo” acrescido do titular do mandato da época, Jatene, adversário político dos proprietários do jornal, para tentar ligá-lo à corrupção investigada pela Policia Federal, envolvendo duas prefeituras do Sul do Pará, Conceição do Araguaia e Santa Maria das Barreiras, como se o desvio de verba pública municipais, estaduais e federais, cometidos por algumas pessoas mal-intencionadas, fosse um ato deliberado ou uma plataforma de um governo. Não foi do Governo Ana Júlia e nem do Governo Simão Jatene, titulares dos mandatos entre 2010 e 2019.

A noticia, ilustrada pela manchete feita para desinformar, baseia-se numa nota distribuída pela Polícia Federal, sem qualquer apuração jornalística, de uma operação que visou servidores públicos e empresários. A PF, em nenhum momento faz qualquer menção ao Governador Simão Jatene ou a Governadora Ana Júlia e nem dá maiores detalhes.

Do ponto de vista jornalístico, o corpo da matéria, poderia apenas informar que houve a operação e publicar a nota da PF, mas se tinha documentos checados e fontes seguras, poderia, ao menos, divulgar os nomes alvos da operação, mas nem isso o jornal se deu o trabalho jornalístico de fazer.

O uso da manchete com o a menção ao nome do ex-governador tem apenas o propósito da desinformação como arma política. Visa fisgar o cidadão que passa nas diversas banquinhas espalhadas pelas áreas movimentadas da cidade e olha, por cima da máscara, o título graúdo, chamativo, enquanto espera o ônibus em uma parada lotada e segue nas intermináveis da massacrante viagem, digitando nos grupos de WhatsApp da família: “tu viste que a PF está investigando o Governo Jatene?” A fofoca então se espalhará e cumprirá o objetivo maldoso, criminoso de confundir as pessoas.

Até quando nós os paraenses vamos nos permitir viver nesta terra de mentiras, que encobrem mal-feitos gerais, de grupos políticos aboletados no poder, que não nos permitem avançar em projetos e ações eficazes para tirar o Pará deste estado de miséria?

Lula e Serra: por que a política vira caso de polícia?

Por que muitos políticos brasileiros, de partidos os mais diversos, usaram desviar recursos públicos e se envolver em esquema de corrupção?

Políticos com passado honrado, com propósitos dignos e projetos louváveis cederam ao poder do dinheiro, abandonando a ética e partindo para compra de mandatos populares.

Defendo que todos paguem pelos seus crimes, mas o motivo que os levou a tocar de lado, precisa ter uma explicação.

Meu palpite é que o sistema político, a desigualdade social, além, claro, das condutas individuais, precisam de um olhar mais atento.

Sempre haverá humanos cometendo algum tipo de desvio de conduta, por isso devemos trabalhar para ter sistema capaz de detectar, impedir e punir.

O sistema político precisa ser reformado, criando filtros para que as pessoas que entram na política apenas por interesses pessoal e com vida pregressa que sinaliza para desvio de conduta sejam barradas.

O sistema deve oferecer ao escrutínio popular as melhores opçõesde de cada matiz ideológica, aliado a competência para o cargo e vida digna.

Sei que é difícil uma reforma política perfeita, ainda mais que os atuais políticos, escolhidos pelo sistema em vigor, nem de perto estão a altura desta missão

Penso que uma tarefa assim, deveria partir de instituições respeitáveis da sociedade, mas estas instituições vem fugindo das suas responsabilidades

As denuncias de corrupção e prisões de pessoas importantes no Brasil tem feito um desserviço à política, afastando dela pessoas de bem e atraindo cada vez mais oportunistas.

A política é o melhor meio de melhorar a sociedade e devemos trabalhar para melhorar esta imagem para que as novas gerações e os melhores filhos de nossa sociedade queiram gostar de fazer a boa política.

Serra é denunciado pela Lava Jato de SP sob acusação de lavagem de dinheiro

A força tarefa Lava Jato está cumprindo busca e apreensão em endereços do ex-governador José Serra. O caso se refere a corrupção recebida no exterior em contas secretas.

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2020/07/serra-e-denunciado-pela-lava-jato-de-sp-sob-acusacao-de-lavagem-de-dinheiro.shtml?utm_source=mail&utm_medium=social&utm_campaign=compmail

MP pede afastamento do secretário de Saúde, Alberto Beltrame, por improbidade administrativa – Portal Roma News

O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) pediu o afastamento do atual secretário de Saúde do Estado, Alberto Beltrame, por improbidade administrativa. Na Ação Civil Pública (ACP) ajuizada contra o secretário, o MP aponta provas de um superfaturamento em uma compra, com dispensa de licitação, de R$ 2 milhões em garrafas pet vazias na empresa Marcoplas Comércio de Móveis LTDA, localizada em Ananindeua. A informação foi compartilhada em primeira mão pelo influencer David Mafra
— Ler em www.romanews.com.br/