Eduardo Bolsonaro e a quebra de decoro parlamentar por uso de fake news

Este post do deputado Eduardo Bolsonaro é o mais emblemático exemplo de fake news que já vi.

A postagem usa meias verdades para levantar suspeitas e afirmar posições negacionistas.

“As vacinas foram feitas mais rápidas do que o padrão”.

Isto é uma meia verdade e verdade não aceita meio termo.

Faltou dizer que não se abriu mão das fases decisivas dos testes para garantir a segurança dos efeitos da vacina. Também faltou esclarecer que houve uma união de todos os principais laboratórios em face da urgência humanitária provocada pela pandemia, garantindo a segurança das vacinas.

A dúvida sobre a utilidade da vacina é criminosamente colocada na pergunta:
“Isso significa que a vacina é inútil?”, completada pela resposta: “Não creio.”

O objetivo da postagem é colocar dúvidas nos efeitos das vacinas e isto fica claro na pergunta e na resposta malandra.

Mas a respota garante ao Deputado um argumento de defesa caso seja questionado sobre o fato de afirmar por outros meios a sua tese negacionista da inutilidade da vacina.

O segundo objetivo da nota é se contrapor a obrigatoriedade de que as pessoas apresentem o atestado de vacinação para ingressar e frenquentar ambientes fechados, com objetivo de não transmitir o vírus.

O pai do Deputado comeu pizza na calçada em Noca York por não ter o comprovante da vacina. O Exército Brasileiro cobra o atestado de vacinação para quem deseja visitar o Forte de Copacabana.

A primeira afirmação do Deputado, que deixei por último: “Tomei a 1ª dose de Pfizer e contraí COVID”.

Todos sabemos que o efeito da vacina vem apenas com a segunda dose e mesmo assim, em alguns casos, é possível a reinfecção, porém os vacinados não terão os sintomas graves e as mortes são evitadas, o que é um milagre da nossa ciência.

O deputado Eduardo Bolsonaro deveria ter seu mandado cassado por falta de decoro parlamentar ao publicar esta postagem.

Decoro parlamentar é a exigência feita aqueles que ocupam cargo público, que são obrigados a ter um comportamento ético superior a media do comportamento exigido dos demais cidadãos.

Pela nota publicada no Twitter, com mentiras, negacionismo, incentivo a não vacinação e rebeldia ao passaporte sanitário, o Deputado prova que não tem compromisso com a ética pública.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s